segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Transei com ex namorado da minha melhor amiga

Bom primeiro vou me descrever, tenho 15 anos,1,73 e 62kg, pele clara, peitos pequenos, bumbum redondinho e naum muito grande, xaninha sem pelos, cabelos castanhos dourados e lisos, olhos azuis,cara de menina. Bom minha vida mudou bastante depois do ocorrido que vou contar pra vcs.Na epoca ja naum era virgem e tinha um namorado, era um namorado carinhoso, fazia sexo bem tradicional,era um namoro tb tradicional, namoravamos a 2 anos, perdi minha virgindade aos 14 anos,meu pai tinha um amigo, se chama Gilmar, tem 1,80(aproximados), e sarado,pele negra, olhos pretos e cabelos pretos, era muito bonito, eu tenho paixao por negros, a seu membro tem 21cm e tem 31 anos.
Meus pais sao daqueles tipos de transar so depois de casar, e essa regra eu ja havia violado faz tempo, e um dia desses em um vacilo nosso o gilmar escutou uma conversa minha com meu namorado em que nos combinavamos da ficar sozinhos na casa dele para transar, mas naum percebemos.Depois que meu namorado foi embora eu estava vendo ele virar a esquina escorada no muro, quando um braço me envolve, e a voz grossa de gilmar invade meus ouvidos, hum entao a cabritinha ja ta liberando? seu pai ja sabe? eu tentei fingir de boba, mas ai ele falou que havia escutado nossa conversa, naum conta pro meu pai por favor, ele ja precionou no meu bumbum, huum por enquanto eu naum vou contar, mas fica esperta, lambeu meu pescoço, nisso meu corpo todo tremeu, e senti um calor dentro da minha calcinha com aquele homem me agarrando com força, coisa que nunca havia ocorrido. Depois disso minha transa com meu namorado foi horrivel(pra min ne, pois ele adorou) so pensava no gilmar, pensava em quando ele ia voltar, se ele ia contar para meus pais, e esse dia chegou gilmar voltou em minha casa e me comprimentou normalmente,e quando meus pais estavam la na pscina ele veio pra dentro da casa e me puxou para o corredor me encostando na parede. E ai cabritinha como foi a foda com seu boyzinho?Aposto que ele naum sabe te fuder direitinho né?bem gostosinho como o titio gil sabe, nisso ele desceu a mao na minha perna e veio subindo com os dedos minha saia(a maioria das vezes uso saia colegial até o meio da coxa) e chupando meu pescoço, depois mordendo meus labios, eu tremia, mas estava adorando mas naum queria que ele soubesse,aquilo tava me dando um tesao. Dai ele subiu mais minha saia até ver minha calcinha, deu gargalhadas silenciosas ao ver minha calcinha pois era de desenho animado... hahahahha calcinha de menininha isso so me dais mais vontade de te fuder.Eu abaixo a saia, para gil. Para o que cabritinha, bem que vc poderia ser cabaçinho hein? queria ser o primeiro a envadir essa sua florzinha, seu namoradinho ja comeu seu cuzinho, nisso ele desceu a mao pelas minhas costa e passou o dedo no meu rego por cima da calcinha, hein cabritinha, responde...eu respondi tremula... naum nunca... huuum deve ser uma delicia seu cuzinho, pq sua bundinha é uma delicia te filmava fazia tempo, essa coisa redondinha e meio rosada, sua pele como de nenem, e esses peitinhos, do tamanho de uma laranja, cabe na minha boca direitinho, da pra mamar como um bezerro....e quanto mais ele falava essas coisas mais minha xaninha suava, depois agente conversa mais, ele me deu um beijo sua lingua invadiu minha boca eu fui amolecendo, ele foi deslizando as maos por minhas pernas e bumbum, e me solto, eu quase desmontei no chao, ele foi embora, fui pra minha cama e fiquei la até adormecer.Depois de uma manhã de estudos no colegio e vou em direçao ao ponto de onibus,quando vem um carro em minha direçao e gil estava dentro dele, entra ai cabritinha! eu ainda fiquei meio confusa, até que ele chamou de novo e entrei, ele ja me olhou dos pes a cabeça....ta sem a sua saia de putinha pq?....o colegio so pode calça...eu nem respondia as agressoes pois no fundo estava gostando de ser xingada(naum pense mal de min), ele andou com carro umas 2 horas até chegar em uma estrada de terra, parou na estrada de terra, vixi, desçe ai que o carro estragou....eu ja tava meio desconfiada, mas desçi, me escorrei no capo, quando ele veio e me empurrou, me fez ficar tipo enclinada com os peitos no capo e as pernas no chao, fazendo ficar arrebitada pra ele, ele abaixou minha calça, de novo essas calcinhas, vc usa isso so pra ficar mais gostosinha, abaixou a calcinha, hum sua florzinha tá bem molhada será pq hein? sua safada? e me deu um tapa no bumbum, ele abriu o fecho da calça dele, abriu meu bumbum, huum olha que rodelinha rosada gente, mas naum vou ser tao mal, naum vou te arrombar a seco, sua florzinha é raspada hein sua safada, nisso ele enfiou o dedo nela de uma vez, eu soltei um gemido e me controçi sobre o capo, ele ficou socando o dedo, eu ia gemendo, estava adorando, agora vai sentir o tio gil dentro de vc, ele colocou uma camisinha, a unica coisa que senti foi quando ele pos a cabeça depois eu vi estrela, ele socou, eu acho que até perdi meu cabaço de novo de tanta dor, segurava nos meu ombros, tirava tudo e socava de novo, eu gemia e eme contorcia de dor e tesao, depois de ficar fazendo isso bem devagar tirando tudo e socando de um vez, ele começou fazer rapido como se fosse um cachorro possuindo sua cadela, eu nunca tinha sentindo tanto tesao na minha vida e nem tanta dor, mas a dor foi diminuindo e o tesao aumentando, ele ia mais rapido e aumento mais quando eu soltei \"sem querer\", me fode gil, ai o homem que ja era um animal ficou mais selvagem, me fodia tao rapido que meus pes começaram a sair do chao e eu a subri mais no capo....ele urrava e me xingava, sua cabrita safada, essa sua xana é a coisa mais gostosa do mundo, vc é minha cabritinha entendeu...ai eu naum respondi...ele parou de meter...eu olhei pra tras com uma cara de pedinte.... e ele me perguntou mais uma vez....vc é minha cabritinha ou naum? eu louca de tesao disse....sim sou sua.....ele socou de novo rapidamente, logo eu tive o orgasmo mais intenso de minha vida, desceu pelo seu pau e pela minhas pernas de tao intenso que foi, ele continuo socando, até que parou e falou agora vem ca, tirou a camisinha, abri a boca pra tomar leite cabritinha, eu abri pensando que ele so ia gozar, quando ele socou me fazendo quando engasgar, e começou a fuder minha boca até gozar, foram 5 jatos intensos na minha boca, os primeiro engoli no susto e os outros foram com ele ordenando. eu ia pegar um lenço pra limpar minhas pernas ele subiu minha calça... naum naum vai melanda e cheirando a sexo, pra até cachorro querer te comer. Me levou em casa quando estava saindo ele me deu um tapinha... vou cumer essa rodelinha ainda hein... pode preparar. Cheguei e tomei um banho.. e assim eu nasci a cabritinha. Vira mais transas da cabritinha.

Marcadores: , , , , , , , ,

sábado, 29 de janeiro de 2011

Contos eróticos Cu de mulher de bêbado não tem dono

Tenho mais de 30 anos, altura média e peso médio também...
Sou casado com uma magrelinha gostosíssima que me satisfaz plenamente, mas o que vou contar é o verdadeiro início da minha vida sexual.
Tinha 16 anos, já era um rapaz formado, tinha mais ou menos o mesmo corpo que tenho hoje, e, como minha família estava numa fase muito difícil de dinheiro, por decorrência disso tive que trabalhar com um tio, irmão da minha mãe, proprietário de uma fabriqueta, num bairro distante de onde eu morava, eu morava próximo do Jaguaré e tive que trabalhar em São Mateus, tive que sair da zona oeste de São Paulo pra passar a viver no extremo leste...
E como seria trabalhoso pra mim, durante o período escolar tinha que morar na casa deles mesmo...
De início até achei o serviço legalzinho e ainda dava pra faturar uma grana, pessoal da fábrica era muito legal, só que várias vezes por semana eles se juntavam pra beber e, liderados pelo meu tio, bebiam até altas horas, de vez em quando eu voltava da escola e ele ainda não havia chegado, depois, quando chegava, geralmente o casal ia dar uma trepadinha e eu sempre ouvia, aquilo mexia bastante comigo e minha tia era uma mulher bem interessante, magrinha, baixinha, bundudinha e com um rosto bem bonito e acabou virando minha inspiração pra minhas punhetas, só conseguia descarregar meu tesão com as trepadas semanais furrecas que dava com uma namoradinha que tinha perto da minha casa no Jaguaré!!!!
Numa época de férias escolares, deixei o pessoal tomando as cachaças habituais e fui pra casa.
Tomei meu banho, coloquei meu short e fui assistir TV junto com minha tia...
Aquele dia a tia tava muito gostosa, já não conseguia disfarçar minha cara de tarado quando a via, ela tava com uma camiseta branca, sem sutiã, shortinho branco apertadinho, com uma marca de tanguinha bem minúscula... E estava particularmente interrogativa naquele dia, queria saber se eu tinha arrumado uma namorada por ali, como eu fazia pra ?me virar?, etc.
Respondi monossilabicamente e timidamente de cabeça baixa a todas as perguntas, eu era um cara bastante tímido mesmo e a possibilidade de trair minha namoradinha do Jaguaré era improvável...
Quando ela me disse:
­        Mas que menino bobinho... Fidelidade é besteira.
Tomei um susto, levantei os olhos e tomei outro susto...
Ela estava sentava no sofá, com as pernas dobradas e com os braços em volta das pernas... O short ficava dividindo a bucetinha em duas!
Aquela visão mais me excitou que assustou e, ainda não acreditando, disse:
­        O tio não ia gostar de ouvir isso sobre fidelidade não...
Ela retrucou:
­        Você acha que é fácil aguentar aquele bafo de cachaça todo dia? Sinto que tô perdendo tempo... Você não me acha bonita?
De imediato respondi:
­        Claro que acho...
Então ela trouxe o sofá mais pra perto de mim, ficou quase à minha frente fechando a visão da TV e sentou-se na mesma posição que estava... E continuou com suas perguntas... Nem lembro direito o que ela falava, não enxergava mais nada que não fosse aquela rachinha na minha cara...
Não resisti e dirigi minha mão pro meio das pernas dela, ela não titubeou e me beijou a boca, agarrou meu pau, massageava, mordia meus lábios e ia tirando meu short devagarinho...
Me refiz do susto em que me encontrava e passei a boliná-la também, tirei-lhe a camiseta e mamei naqueles peitinhos, dei mordidas na barriguinha, arranquei o short, que teimava em descer junto com a tanguinha, mas consegui tirar somente o shortinho, afastei-a um pouco, peguei-a pela mão, a fiz girar devagarinho e a vi só com aquela tanguinha branca minúscula, o que só fazia realçar toda aquela gostosura...
Comecei a lambê-la todinha, dos peitos até a virilha, cheirei a bucetinha por cima da tanguinha, virei-a de costas e lambi toda aquela bundinha linda, afastei a calcinha de lado e babei toda a bunda da mulher, dei várias linguadas na buceta e quando me preparava pra enfiar o pau naquela bucetinha ela me pediu pra esperar...
Deitou-me de costas na cama e começou a me lamber boca, os lábios, parou bastante no meu peito, lambia e mordiscava cada um dos meus bicos, e desceu até o pau....
Que boquete!!!! A mulher engolia o pau quase inteiro, lambia as bolas, colocava-as na boca e ficava me punhetando...
Já não tava quase aguentando mais, quando pedi para fodê-la...
Ela deitou-se, eu encaixei meu pau na entrada da boceta, empurrei devagar e comecei a entrar e sair, tentei colocar um dedo no seu cuzinho, mas ela não deixou, aquilo seria algo completamente novo pra mim, nunca tivera esses desejos com minha namoradinha, sussurrei-lhe no ouvindo pedindo pra deixar, mas não adiantou, então comecei a estocar com mais força e, não sei se por causa das punhetas, fiquei naquilo um tempão, mudamos de posição mais duas vezes, quando ela ficou de costas pra mim e depois de quatro, que foi quando consegui gozar...
Conversamos bastante depois e ela me disse que já havia notado meus olhares e disse que ficava o tempo todo me seduzindo e que tinha muitas dúvidas se conseguiria trair o marido comigo, mas que conseguiu e que gostara...
À noite, depois da chegada do meu tio, eu já ouvia seu ronco do meu quarto, quando a porta abriu e minha tiazinha gostosa apareceu só de tanguinha, dessa vez azul clarinha, deitou-se ao meu lado, nos tratamos como namorados, dessa vez fui bem mais lento e pus a língua no seu cuzinho, ela só gemia...
Quando fomos trepar, depois de muito dizer que não a machucaria, finalmente conseguir enfiar na bucetinha dela com o dedo todo no seu cuzinho, quando, ela de quatro, eu tentei trocar de buraco, ela não deixou, me fiz de ofendido e, apesar de todo o tesão que a situação me dava, não recoloquei o pau em lugar nenhum e disse pra ela que eu era bem experiente em anal (Mentira!!! Nunca fizera!!!), que não a machucaria, que só achava que uma relação era completa se tivesse anal, mas mesmo assim ela não deixou...
Na sexta feira, eu iria no dia seguinte à minha casa e veria minha namorada, naquele dia a porta do quartinho se abriu de novo, refizemos quase todo o nosso ritual de trepadas, só que, dessa vez quando ela ficou de quatro, ela me entregou uma embalagem de óleo de bebê, direcionou meu pau pro cuzinho e só disse um:
­        Vai devagar.. Se me machucar, tira...
Comecei a meter a língua naquele cuzinho, lambuzei meu pau com aquele óleo, encostei o pau na entrada, mas ela reclamou que doía...
Então mudou de posição, pôs um travesseiro embaixo da barriga, arrebitou bem a bundinha me convidando pra penetração, lambuzei o pau de novo e encostei na entradinha, meu pau estava duro como nunca, dei um empurrão e a cabeça entrou, fiz questão de dar uma olhadinha e empurrei mais, ela gemeu alguma coisa, perguntei se podia continuar e ela autorizou, então empurrei o resto, olhei de novo e tava com o pau inteiramente dentro do cu dela, só aquilo já me deu um tesão desgraçado.
Então comecei as enfiadinhas e tiradinhas curtas, depois mais profundas, até começar a bater com força a virilha na bunda dela, meu pau doía um pouco, mas o cu já tava mais receptivo, fiquei alternando esses movimentos uns vinte minutos, às vezes rápido, às vezes devagar, às vezes tirava quase tudo, às vezes colocava tudo, até que não me aguentei e quase gritando, e correndo o risco de acordar meu tio, gozei tudo o que podia dentro daquele cu....
Isso não me saiu da memória nunca mais, o ar de felicidade que a mulher, completamente suada, mostrava me deixou maravilhado...
Naquela madrugada mesmo, nem sei quantas vezes ainda comi o cu dela, só lembro que gozei mais uma vez no fundinho dele...
Algum tempo depois fiz anal com minha namorada, mas não conseguia deixar de pensar na minha tia, com quem eu fiz muito mais gostoso e muitas outras vezes mais.
Acho que acabei dando bandeira, pois sempre que terminava o expediente, eu já não ficava um minuto a mais sequer com o pessoal da fábrica e ia sempre, pelo menos, namorar com minha amada tia, como consequência disso, penso, meu tio uma vez chegou em casa mais cedo e me pegou encoxando a mulher dele, a reação dele foi reclamar, só que a mulher o levou para conversar reservadamente e, não sei o que ela fez, que meu tio não reclamou tanto mais, só me mandou de volta pra casa...
Não via mais a minha tia com frequência e consegui dar uma trepada com ela só mais uma vez, só que na minha casa mesmo.
Tempos atrás, descobri que minha tia andava dando pra toda a molecada da vizinhança, a pivetada de lá nem imagina o quanto tem que me agradecer!!!!

Marcadores: , , , ,

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Ninfeta gostosa perdendo a virgindade com Professor

Olá, meu nome é Mirelle, tenho 16 aninhos. Sou morena, cabelos lisos e compridos, 1,64, olhos verdes, sou magra, porém tenho um corpo muito sarado pois malho desde novinha, então tenho pernas bem torneadas, bunda empinada, cinturinha fina e seios médios bem firmes. A história que vou contar pra vcs aconteceu a uma semana, eu sempre tive atração por um professor da minha escola, que fica em BH onde moro, esse professor sempre sempre mexeu muito com minha imaginação, por ser muito gostoso, rosto perfeito, olhos verdes e um corpo de deixar qualquer uma maluca. Havia acabado as aulas e eu estava arrumando minhas coisas para ir embora, como a últimas aula era dela, resolvir arrumar tudo bem devagar para poder ficar sozinha com ele, e foi o que aconteceu. Comecei a olha-lo de uma maneira provocante me insinuando para ele, até que resolvi ser mais ousada pergutando se ele tinha namorada, a resposta foi um sim já esperado, não perdir tempo e disse que ela deveria aproveitar muito pois um homem daquele não era pra qualquer uma, pra minha surpresa ele disse que ela não aproveitava muito e perguntou se eu queria fazer o que ela não fazia, nem tive tempo de responder pois ele foi logo me dando um beijo.
Começamos a nos beijar ali mesmo, estava uma delícia nossas linguas faziam movimentos perfeitos, suas mãos percorriam todo o meu corpo que já começava a dar sinais de excitação, coloquei minha não na sua calça e sentir aquele volume aumentando a cada segundo, foi quando ele arrancou minha blusa de vez e caiu de boca nos meus seios, ele chupava como um nenem faminto, mordiscava os bicos deixando-os duros e avermelhados, enquanto isso ia tirando minha calça e minha calcinha totalmente úmida. Quando me dei conta já estava totalmente nua, enquanto aquele homem maravilhoso beijava todo meu corpo, chupava meus seios, ia descendo até minha barriguinha, mordiscava meu umbigo, até que chegou na minha xoxotinha toda molhadinha e caiu de boca me fazendo gemer de tanto prazer, sua lingua fazia movimento deliciosos no meu clítoris enquanto seus dedos se alternavam em meus orifícios não aguentei e gozei na boca do meu professorzinho querido e tão desejado. Estava totalmente envolvida e quis retribuir o prazer que ele estava me dando, então ajoelhei na sua frente abaixei suas calças e comecei uma chupeta, comecei na cabecinha, passando o dente devegar, depois fui chupando toda, lambendo as bolas e ele gemia como um touro, puxava meus cabelos e me chamava de "minha putinha gostosa", comecei a sentir seu mastro pulsar e logo sentir jatos de porra na minha boca, achei o cheiro estranho mas engolir o máximo que pude, afinal era o líquido precioso do macho que eu tanto desejava. Percebi o quanto ele era viril, pois depois do boquete beijei um pouco seu peitoral e sua jeba já estava dura novamente, então ele me pegou pelo braço e me jogou na mesa, abriu minhas pernas e encaixou-se sobre mim, fiquei assustada pois eu ainda era virgem e aquela jeba tinha aproximadamente 20x5, mas o tesão era tanto que relaxei, ele foi bricando com a cabecinha na entrada da minha grutinha, depois colocou de vez, dei um grito de dor e tesão, ele fazia movientos mágicos, dançava dentro de mim, tinha uma energia fora do comum, comecei a acompanhar seu rítimo mexendo-me feito uma louca e gemendo como uma cadela no cio, enquando me comia ele apertava meus seios, beijava minha boca ou me chamava de nomes como "putinha gostosa, ninfeta safada" aquilo me deixava louca e me fazia dizer absurdos como "me fode toda seu gostoso, mostra toda sua física pra sua aluna mais aplicada", como ele é prof. de física dava pra falar umas sacanagens como "mostras seus movimentos progressivos ou aplica toda sua força peso" depois de muitos movimentos explodimos num gozo alucinante gemendo como dois animais. Nos beijamos e ele começou a apertar minha bundinha, prontamente entendi o que ele queria, e fiquei de bruço apoiada na mesa, ele começou a acariciar meu buraquinho mais apertadinho com a língua e introduzir os dedos nele, posicionou aquela jeba na entradinha lubrificou um pouco com o líquido que escorrida da minha xoxotinha, deu aquela velha cuspidinha e mandou ferro, dei um grito abafado por sua mão, as lágrimas rolavam no meu rosto, a dor era imensa, mas eu queria ir até o fim pois queria me entregar de vez aquele homem, ele bombava devagar para não me machucar tanto, mas a dor logo foi se tranformando em prazer, então eu olhei pra tráz dei um sorrisinho e comecei a rebolar, ele ficou louco com aquilo e começou a me castigar com movimentos rudes, enquanto enfiava 4 dedos na minha xoxotinha, dava tapas forter em minha bunda e mordia meu percoço ou me xingava, gemir com uma puta, comecei a sentir jatos invadirem meu buraquinho, finalmente ele havia gozado, quando tirou o mastro sentir um vazio dentro de mim, passei os dedo e percebir que meu cuzinho estava um estrago. Fiz uma última chupeta nele, nos vestimos e fomos embora.
Espero repetir outras fodas com ele para continuas escrevendo por aqui. Beijos

Marcadores: , , , ,

Minha amiga chupando minha buceta na fazenda

O que contarei a seguir foi uma história muito excitante e que eu tenho certeza excitará muito vocês. Eu tenho vinte e dois anos, sou morena, 1,74m, olhos verdes, bunda durinha e seios médios. O que eu contarei se passou quando eu tinha dezoito anos.
Minha tia tem uma fazenda em Piracicaba e eu e uma amiga minha fomos passar um fim de semana lá, sozinhas, apenas com os caseiros! O primeiro dia lá foi muito chato, não fizemos nada, apenas vimos televisão.
No segundo dia, fomos mato a dentro explorar a fazenda. Minha amiga Carla era muito gostosa, tinha 1,65m, olhos azuis, morena. Admito que sempre tive fantasias por mulheres, apesar de ser bem casada. Saímos para passear no mato. Eu estava com uma calça branca colada que apareciam minha calcinha rosa de rendinha que estavam enterradas na minha bundinha e uma blusinha colada que exibiam meus belos seios. Carla estava com uma saia branca transparente que exibiam sua calcinha preta enterradinhas na bunda, o que me deixava mais louquinha ainda. Usava uma blusinha branca e estava sem sutiã. Fomos lá, comemos laranjas, corremos, até que uma hora cansamos e sentamos para descansar na grama. Carla se sentou na minha frente e abriu as pernas. Quando vi seu buraco tapado apenas por uma finíssima calcinha enlouqueci. Percebi que Carla também olhava fixamente para o meio das minhas pernas, querendo saber se podia perceber a calcinha pela cor da minha calça.
De súbito, o papo começou a esquentar e perguntei a ela se era virgem, essas coisas... Uma hora disse que estava com calor e tirei a blusa, meus seios estavam quase saltando do sutiã de tanto tesão. Carla ficou paralisada até que peguei sua mão e toquei em meu seio. Ela deu um gemido e começou a acariciá-lo, apertar os biquinhos. Eu soltava gemidos muito altos, minha calcinha já estava encharcada. Tirei o sutiã e abri o zíper da minha calça, mostrando minha calcinha rosa molhada. Carla passou a mão por cima dela e eu gemi. Avancei sobre ela e tirei-lhe a blusa, vendo uns peitos lindos, maravilhosos, e não demorei muito para chupá-los. Ela ficou de quatro na minha frente dizendo que iria pegar uma coisa que vira. Vi toda sua bunda tapada apenas por uma calcinha minúscula, molhada. Ergui sua saia, massageei sua bunda, e ela soltou um gemido forte! Tirei sua calcinha e ela abriu as pernas. Chupei aquela boceta com de poucos pêlos molhada, e a fiz gozar na minha boca!
Relaxei e abri as pernas, e esperei minha gata. Ela veio e tirou minha calça, fiquei apenas de calcinha. Ela me agarrou começou a chupar todo meu corpo e tirou minha calcinha com a boca, gozei feito louca quando ela abriu minha bocetinha e chupou meu clitóris. Após isso nos vestimos e fomos para o quarto dormir. Estávamos com um pouco de ressentimento por tudo que aconteceu, coloquei apenas uma calcinha vermelha enterrada na bunda sem sutiã para dormir e a Carla colocou apenas uma camisolinha que deixava aparecer sua calcinha branca de rendinha. Ela se deitou e não falamos nada. Como estava com muito tesão, cheguei na sua cama e ergui sua camisola. A calcinha estava cravada na bunda, tirei-a e coloquei três dedos no cuzinho dela. Ela gemeu de tesão e arrancou minha calcinha vermelhinha encharcada e me chupou inteirinha...
Desde esse dia uma vez por mês vamos na fazenda da minha tia. Mesmo casadas nos encontramos, cada vez Carla esta mais gostosa e mais molhadinha.

Marcadores: , , ,

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Minha Ginecologista lesbica gostosa chupando minha buceta no consultorio

Bem... meu relato aconteceu a mais ou menos 3 meses atras... Tinha uma consulta com uma ginecologista,e resolvi escolher uma mulher, por ser minha primeira vez. Eu sou uma garota d 18 anos... nunca tive relacao sexual com ninguem... me achava fria... Tenho um corpo bem bonito... pernas grossas, peitos durinhos, bicos grandes, minha xaninha e bem alta, volumosa... de grelinhos bem salientes... Sou uma mulher de gostos estranhos... sempre tive muito tesao em ver fotos e me masturbar... mas quando se tratava de um relacionamento eu fugia... Entao achei melhor procurar uma ginecologista.
Fui ao consultorio na hora marcada... E vi entrando poucos minutos depois , uma loira de parar tudo... era a mulher mais linda que ja havia visto... seios faitos, cintura finissima... uma bunda... o meu Deus, que bunda... Logo em seguida fui convidada a entrar e vi que aquela coisa maravilhosa era a medica. Dr@ Emanuelle. Ela muito simpatica, comecou a me fazer perguntas depois de se sentar a minha frente, com um vestido curtissimo que so o meu ganhava dela... Foi me relaxando e fazendo perguntas sobre qual era meu problema... eu falei que era virgem, e que achava q era fria, porque so sentia prazer quando via fotos e me masturbava... Ela me mandou tirar a roupa, e me fez deitar na mesa de exames. Perguntou se eu queria q a enfermeira ficasse, e eu disse que por mim nao... Ai eu deitei,abri as pernas... e fui comecando a fica nervosa... eita posicao dificil...
Ela falou: Vou colocar meu dedo em sua vagina agora ok?
Eu disse: tudo bem
E ela comecou a enfiar o dedo devagar... e eu comecei a me sentir quente... a me sentir molhada, e isto me assustou! Ela disse relaxa, que agora vou ter que fazer um outro exame... e eu fechei os olhos e senti ela me tocando na parte de cima da vagina... no meu clitoris... eu quase morri... e ela falou: Ta gostando? Ta doendo? Eu disse que nao,que tava bom... ai senti que ela tirou o dedo e abaixou a cabeca... e senti a coisa mais incrivel de toda a minha vida... ela enfiou a lingua na minha buceta... e comecou a chupar... a chupar... e a lamber... com o dedo foi enfiando no meu cuzinho, e comecou a falar palavras como : Gostosa...quero sua buceta carnuda... que grelos que vc tem... posso te chupar e fuder vc a tarde inteira,sem parar... e nisto eu senti algo nunca vivido... eu gosei na boca dela... gosei tanto... e ela tomou tudo... gota por gota... se lambusava em minha porra... ai ela veio e comecou a mamar meus seios... e eu sem saber direito o que fazer... enfiei o dedo na buceta dela,que tava molhadinha... a calcinha minuscula estava enxarcada... e falei que queria experimentar o leitinho dela... meti a boca naqueles peitos,depois fui pra buceta... que delicia... que buceta gostosa, quente e molhada... eu a chupei gostoso... me esfreguei nela... e comecamos a gemer... foi entao que a porta se abriu e entrou a enfermeira... ela parou e disse: Facam mais baixo que todo mundo ta ouvindo... deu um sorriso,e chegou perto... passou a mao na minha buceta e deu uma deliciosa chupada... ela falou: queria te fuder tbm... mas temos outros pacientes... e ela nao tirava a mao do meu clitoris... lambia o dedo e colocava de novo na minha buceta... Marcamos pra mais tarde nos encontrarmos... Esta foi a primeira vez que trepei... e foi otimo...
Hoje descobri que sou bi... adoro uma mulher... mas tbm gosto de um homem bem gostoso... Se alguma garota quiser se corresponder comigo... espero que seja de Sao Paulo.


Marcadores: , , , , , , , ,

Fantasia realizada comi minha esposa e a vizinha gostosa

Sempre li contos eróticos e pensei muito antes de relatar o que aconteceu comigo e com a minha esposa. Em primeiro lugar vou me descrever: sou loiro, olhos verdes, 1,69m, vinte e oito anos e de muita boa aparência, meu nome é Gilmar e sou casado com uma linda mulher, morena clara, cabelos longos, coxas grossas e uma bunda que faz qualquer um babar de vontade, cujo nome é Ana. O fato que passo a relatar aconteceu de verdade. Sou funcionário Público Federal e vizinho de um grande amigo e companheiro de trabalho que se chama Carlos, e que tem uma deusa de mulher, linda, gostosa, com umas coxas e bunda espetaculares e que se chama Fernanda. Em um determinado dia, ele viajou com previsão de retorno em quinze dias e, como éramos vizinhos, todos os dias estávamos na casa deles e eles na nossa. Fernanda estava sempre lá em casa conversando com minha esposa. Quando chegava em casa, lá estava ela, sempre muito provocante, com uns shortinhos que mostrava as polpas da bunda. Eu sempre me deliciava com aquela visão, tirava onda de ir tomar banho e sempre batia uma punheta pensado nela. Mas nunca tinha coragem de falar qualquer coisa que viesse a atrapalhar nossa amizade e o respeito que tínhamos um pelo outro.
Numa sexta-feira, tinha tido um dia de trabalho muito cheio e estressante. Chegando em casa, por volta das sete e meia, lá estava ela com Ana conversando. Ainda estava sozinha devido ao fato de seu marido estar viajando. Ela me olhou e disse que estava louca para dar uma e que não agüentava mais a saudade de seu marido. Achei que era brincadeira e dei um sorriso maroto para ela, olhando para minha esposa. Quando retornei ela já tinha ido para sua casa e minha esposa comentou que a Fernanda estava subindo pelas paredes de tanto tesão. Fiquei na minha, fui até a geladeira e peguei uma cerveja e comecei a beber. Acho que já tinha tomado umas três garrafas quando o telefone tocou e minha esposa foi atender: era Fernanda, dizendo que tinha acontecido alguma coisa no registro de medição de energia e que estava tudo no escuro na casa dela. Ana pediu para eu ir até ver o que tinha acontecido. Quando bati na porta ela veio me atender enrolada em uma toalha curtinha. Perguntei o que tinha acontecido e porque que ela estava só de toalha e ela me respondeu que ia tomar banho e, quando ligou o chuveiro, tudo se apagou dentro de casa. Disse que ficasse calma que iria verificar o que tinha acontecido. Fui até o registro e constatei que tinha disparado o disjuntor. Após alguns ajustes, ela me chamou até o banheiro para verificar como estava o chuveiro. Perguntei a ela o que ela tinha feito e ela foi demonstrar: esticou-se toda para ligar o chuveiro. Eu fiquei pasmo com a visão que tive: pude ver que estava sem calcinha, totalmente nua. Vi uma bunda maravilhosa e de imediato fiquei com o pau duro (um pau que não é pequeno). Comecei a elogiá-la. Ela perguntou se o que eu tinha visto me excitava. Falei que excitava já há muito tempo e que não estava mais agüentando aquela tortura. Ela tirou a toalha e ficou totalmente nua, me abraçou e me beijou na boca enfiando sua língua faminta. Logo ela suplicou por minha pica e começou a chupar. Chupava com muito prazer e tesão. Peguei-a pela cintura e levantei-a até a borda da pia. Comecei a enfiar minha língua naquela grutinha sedenta de desejo. Ela olhou para mim e disse que queria ser penetrada. Coloquei-a de quatro e comecei a estocá-la com força e ela pedia mais, mais, mais! Até que ela falou que estava gozando. Quando ela terminou, depois de alguns gritos alucinantes, disse a ela que eu também iria gozar e ela me pediu para dar-lhe uma bela esporrada na cara, o que fiz com maior prazer. Tinha que ir embora porque já tinha demorado muito. Ela falou para eu dizer que eu não tinha consertado o problema e pediu para dormir lá em casa, pois queria foder à noite de novo. Como nós tínhamos o quarto da empregada desocupado, a idéia pôde ser realizada.
Tudo combinado, fui para casa e, chegando lá, minha esposa perguntou o que tinha acontecido. Expliquei o problema. Ana ligou para ela e disse que poderia ir dormir em nossa casa. Ela veio e, como eu já tinha começado a beber, continuei... Ela perguntou se podia beber comigo e minha esposa falou que não tinha problema nenhum, porque ela também estava com vontade de beber. Daí começamos a beber os três juntos. Fernanda perguntou para minha esposa se ela podia tomar um banho, mas não tinha trazido roupas para trocá-las. Minha esposa disse que não tinha problema e que daria a ela uma camisola para dormir e emprestaria uma calcinha. Foram para o quarto e a Fernando tomou seu banho. Já era quase umas dez horas quando ela saiu do banheiro só de camisola e uma calcinha transparente de minha esposa. Fiquei louco e muito excitado. Sentaram as duas no sofá de três lugares e fiquei no de dois lugares. Ana disse que ia tomar banho e que era para ela ficar à vontade. Quando ela entrou no banheiro Fernanda pulou em cima de mim e começou a me beijar, dizendo que estava doidinha para transar comigo na frente da minha esposa. Fiquei mais excitado ainda com esta proposta e agarrei-a da maneira mais tesuda que pude, mas larguei aquele tesão de mulher quando percebi que o banho da minha esposa tinha acabado. Ana voltou só de camisola, mas sem calcinha, como ela gosta de dormir, e disse que agora ela queria beber mais. Começamos a beber e Fernanda perguntou para minha esposa se ela podia ficar sentada do meu lado e minha esposa balançou a cabeça com sinal de aprovação. Para minha surpresa, Ana falou para ela: "Bem que você podia tirar uma casquinha do Gilmar. O que acha Fernanda?". Ela ficou estática, seus olhos brilhavam e falou para Ana: "Jura? Você não vai ficar com raiva de mim se eu der um beijo nele?". Minha esposa respondeu: "De maneira nenhuma, sei o que é necessidade de uma pica". Ouvindo isso, a Fernanda pulou em cima de mim e começou a me beijar, agarrando no meu pau e dizendo: "Nossa! Como é grande, grosso, nem parece com a porcaria do Carlos...". Sem nenhuma cerimônia começou a chupar meu pau, ali na frente de minha esposa.
Quando olhei para Ana, ela estava com as pernas abertas, com dois dedos na boceta e com dois dedos da outra mão na boca. Fiquei louco com aquela cena. Eu estava sentado no sofá com a Fernanda de quatro chupando meu pau. De repente minha esposa falou: "Posso participar da festinha?". Eu respondi: "Claro que sim meu amor". Minha esposa não se fez de rogada e começou a chupar a boceta da Fernanda com muito prazer e tesão. Jamais imaginei minha esposa chupando uma boceta. Fiquei surpreso e muito excitado e deixei o tesão falar mais alto. Depois Ana veio e começou a chupar meu pau e disse para a Fernanda chupar sua grutinha, que já estava toda ensopada. Começamos uma orgia interminável, saímos da sala e fomos para o quarto já envolvidos pela bebida: lá estávamos os três fazendo somente um bolo em cima da cama. Comecei a me deliciar com a cena das duas fazendo um delicioso 69 e depois colando um velcro. Não me contive e comecei a me masturbar. Minha esposa urrava de prazer, dizia que a muito tempo desejava a Fernanda. Ouvindo aquelas palavras não me contive e disse que ia gozar. Fernanda implorou: "Por favor, Gilmar, goza na minha boca...". Fui para cima dela e comecei a gozar. Fernanda ficou com minha porra toda alojada na boca e puxou a Ana para um beijo de língua. Começaram a se deliciar com o meu leite quente.
Continuamos com esse prazer por mais de um ano, sem o marido de Fernanda saber. Hoje vivemos afastados devido ao fato de eu ter sido transferido para longe. Agora só restam os telefonemas, mas nunca vou esquecer desta aventura tão gostosa que nós desfrutamos. Ana me cobra por uma nova aventura, mas ainda não encontramos nenhuma mulher do jeito de Fernanda para nós realizarmos uma louca transa à três, mas vamos continuar procurando.

Marcadores: , , , , , , ,

Gostosa e safada fazendo sexo na praia com namorado

Foi em uma viagem até o litoral que tive a sensação de ser a mulher mais desejada e mais puta também.
Depois de um dia na praia, águá de côco, sol e mar, fomos para casa eu e meu noivo. Acreditando que não ia acontecer nada, entrei em casa, e fui direto me arrumar para tomar um banho, quando de repente, senti alguém me puxar pelos cabelos por trás, encaixar o corpo no meu, suado, e me morder o pescoço!
Era ele! maravilhoso, enfiou a mão no meu biquini, colocou sua mão quente na minha bucetinha (a essa altura ja ensopada de tesão) me pedindo pra chupar seu pau.
Baixei sua sunga, e mergulhei naquele suculento caralho que me deixou extremamente louca, e querendo mais e mais mamar a porra que estava prestes a sair dali.
Chupando meus peitos e apertando eles como se eu fosse uma vaca para dar leite, ele lambia meus bicos loucamente e me xingava de piranha, mandando eu bater uma punheta para ele....
Seu pau grande, rosado e molhado, seu cheiro de suor e a fome com que me comia, me deixava louca e me pedia mais e mais para que puxasse meu cabelo bem forte e metesse em mim de quatro.
Senti todo seu pau entrar em mim, com muito tesão ele entrava e saía escorregando de prazer. Delirei quando ele tirou e colocou na minha boca para chupá-lo com todo aquele mel, o dele misturado ao meu...
Enquanto eu o chupava, e me deliciava ali, ele me chamava de puta, cachorra e tudo que eu era ali naquela hora.
ao me levantar, ele me jogou em cima da cama, abriu minhas pernas e caiu de boca na minha buceta molhada, suada, e cheia de tesão;
Ao terminar seu boquete, colocou seu pau grande macio e molhado na minha buceta, e meteu nela até gozar... foi rapido poque ja estava quase explodindo de tesão.
Depois de gozar, ele insistiu em querer comer meu cuzinho pois estava louco de tesão ainda... eu deixei... depois de muito insistir e de alargar ele com seus dedos molhados, e assim ele se deliciou ao enfiar seu caralho no meu rabinho apertadinho e ficava louco quando eu gemia de dor e prazer ao mesmo tempo, até gozar lá dentro novamente...
Foi magico pois ao mesmo tempo que comia meu cu, ele me masturbava gostoso..... extremamante sensacional.

Marcadores: , , , , , , ,

sábado, 22 de janeiro de 2011

Gata Casada putinha e safada transando com desconhecido

Sou uma mulher muito safadinha adoro sentir olhares sobre mim,sentir o desejo dos homens quando wu passo isso me excita a ponto de chegar em cas e ter que me masturbar pensando em como seria otimo ser possuida por qualquer um desconhecido.Pensando nisso entrei em um site desses de sexo e me increvi postei algumas fotos minha de ligerie e esperei obtive varias respostas desde meninos ate homens bem mais velhos que eu;ah ja ia me esquecende de alguns detalhes sou casada mais depois de alguns bons anos de casada não existe mais essa coisa de a pessoa te olhar e vc ja se acender,sou uma mulher gosotosa o tipo grande coxas grossas,1.70 de altura,seios fartos uma bunda grande e uma bucetinha de dar inveja.

Voltando passei uma semana pesquisando com qual daqueles desconhecidos eu iria trepar e não foi muito dificil de escolher escolhi o mais sacana ,aquele que me parecia o mais safado ,nos falamos umas duas vezes no msn e combinamos de nos encontrar ele chamava-se rick esse era seu nick ,marquei em um shopping perto da minha casa pois queria ter certeza que ele era mesmo gostoso pelo menos visualmente.

cheguei e vi aquele homem alto do jeito que ele havia se descrito pra mim,moreno,1.85 de altura nem forte nem magro de camisa salmão como haviamos combinado ele de camisa salmão eu de vestido rosa bebe.

Fui falar com ele e rapidamente simos daquele local ele me comia com os olhos e isso estava me deixando loca com sou bem safadinha ,fui sem calcinha e sem sutian deixando a mostra a sombra doque ele teria ,ele me olhava e seu pau reagia com os seus olhos crescia cada vez mais podia ver o enorme volume na sua calça.

fomos pro carro delee de la direto pra um motel chegando no carro ele ja passou a mão nas minhas coxas e levemente os dedos entre as minhas pernas assim seconvencendo que realmente eu estava sem calcinha,nossa minha bucetinha estava molhadinha de tanto tesão o proibido o desconhecido era um misto de coisas na minha cabeça.

mal entramos na garagem do quarto do motel e ele ja foi levantando meu vestido e começou a me tocar dedilhava a minha xana como um pianista faz em seu piano,começou a beijar meu pescoço meus seios e em fração de segundos eu ja estava nua totalmente vulneravél a eleisso me excitava cada vez mais deixei-me ser conduzida pelo tesão, ele tocou levemnte meu clitóris com seu dedos abios e fui ao delirio gemi alto muito alto era um gemido que estava a tempos preso em minha garganta,percebendo isso ele abaixo-se e começou bem devagar a mordiscar minha buceta enquanto dedilhava o meu cusinho com maestria enfioua aquela lingua quente na minha buceta e começou a me chupar deliciosamente enquanto enfiava seu dedo cada vez mais em meu cusinho e eu gemia ,chorava de prazer gozei a primeira vez em sua boca com uma devassa fiquei com as pernas mole e depois de alguns segundos me recompus e ai foi a minha vez de começar a chupalo tirei acalça dee ali mesmo afinal quem entraria ali e abocanhei aquele maravilhoso mastro estava com tanta sede de um pau que engolia ele de uma vez sóchupei qte ele quase gozar ele me parou me pegou pelo braço e entramos no quarto com ele me agarrando por traz sentoa seu pau pulsar em minha bunda,me colocou de 4 e recomeçou a me chupar dessa vez chupou meu cusinhu minha xana entre um e outro ele enfiava o dedo ora no cu ora na xana e eu delirava estava me sentindo uma vadia.

pegou seu pau e de uma só vez enfiou em minha xana gritei gemi pedi qie metesse com mais força mais ele fazia um misto de tortura e de prazer ia hora devagar ,hora rapido isso me deixava louca de tesão Deitou-se e me fez cavalgar em seu pau quase sentia ele na garganta sem exageros de tão enorme aquela vara era,cavalguei gostoso ai eu tomei as rédias da situação levantei só pra poder recolocar o pau em outro lugar que estava piscando de vontade de senti-lo no meu cusinhu,sentei ele fez uma cara de quem queria que enfiasse tudo eu tbm queria mais estava com medo daquele pau me machucar então fiquei de cocoras em cima dele e devagar fui descendo sentindo minhass entranhas se rasgando mais me deliciando com tudo aquilo e comecei um movimentode sobe desce que estava nos levando a loucura ele começou a dedilhar novamete a minha xana e eu estava quase gozando quando mepega e cola-me de 4 não gostosa quero gozar no seu cusinhu de 4

e assim foi me pois de 4 e me enrabou novamente enquanto me dedilhava deliciosamentee eu só pedia para que ele metesse mais cada vez mais gozei como nunca e ele tambem ficamos alguns instantes meio que petrificados com o tesão que foi tudo aquilo minutos depois ele perguntou se eu ja queria ir eu respondi que sim e ele me levou ate o shopping onde eu havia deixado o meu carro mais não resisti chegando la dei uma ultima mamada naquele pau e suguei ate a ultima gota de porra que havia sobrado ali.

Ao descer do carro ele pede pra eu dizer ao meu marido que se soubesse que eu era tão gostosa não teria cobrado.

cheguei em casa e não comentei nada fui direto pro meu quarto tomar um banho e quando estava no chuveiro meu marido entrou nu dentro do chuveiro comigo e disse:

gostou do seu presente ,agora quem vai querer o seu cusinhu como forma de gratidão sou eu eu fiquei muda sem saber oque falar ele se sentou no vaso e me fez sentar em seu pau que é uma pena não utiliza-lo sempre pois ele é enorme maravilhos com meu cusinhu ainda dolorido mais desnortiada diante da revelação sentei em seu pau ele me comeu como umcavalo e eu como uma vadia que sou enquanto ele metia no meu cu eu dedilhava minha xana gozei novamente

ele tirou seu pau prra fora do meu cu me fez ajoelhar e beber todo seu leitinho e claro sem deixar sobrar nada fiz com gosto

na hora de nos deitarmos ele me explicou que havia copiado algumas conversas minhas on-line e resolveu contratar o rick que na verdade se chama-va fernando e lhe explicou o site qual era meu nick e sabendo das minhas preferencias tinha certeza que iria escolhe-lo e era isso que faltava em nossa relação um pouco de avemtura.e a partir dai saio com os homens que me dar vontade ddesde que quando voltar pra casa tenho que dar meu rabinhu pra ele como boa cadelinha que sou.

Fotos

Marcadores: , , , , ,

Como virei uma putinha na cama após perder a virgindade

Sempre fui uma criança recatada, mas mto curiosa lembro-me que por diversas vezes espionava as revistas pornos que meu pai tinha debaixo do colchao. Minha mae me surpreendeu com um ursinho de pelucia dentro da calcinha. Rs safafinha.

No colegio mto timida me escondia por tras dos oculos e das roupas largas. Menstruei pela primeira vez aos 11 anos, e nesta mesma epoca recebemos em nossa casa meu tio/padrinho irmao da minha mae, 19 anos mais velho que eu. Eramos mto proximos, dividiamos o mesmo quarto: eu, meu tio e meu irmao de 10 anos.

Numa determinada noite fui surpreendida com um beijo no canto da boca e a frase: - Deus te abençoe! Que estranho, Pensei. E ele aproximou-se mais e me deu o primeiro beijo, jamais havia provado outra boca. Sem reação me virei e fui dormir.

Eu mal conseguia olhar pra ele nos dias que se seguiram, todas as noites ao pedir a benção ele se aproveitava para roubar um beijo. O medo me consumia tinha pavor daqueles momentos. Ficava com medo todas as vezes que ele queria fazer algum jogo e nos chamava...pois debaixo do edredom ele acariciava minha bucetinha infantil sem pelos. Como eu chorava! ele sempre me lembrava de que eu não devia contar isso a ninguém. E eu sofria calada. A situação proceguia através dos anos...todas as noites Qndo as luzes se apagavam sentia sua mão pelo meu corpo...aos 13 anos me pôs para mamar no seu pau. Senti nojo chorei. Resolvi dar um basta...mas foi pior, me fez ameaças me mandou chupa-lo até gozar. Sempre que meus pais saíam eu ficava em casa para preparar o almoço para o meu tio. Sem saber me serviam como prato principal.

Ele nunca forçou uma penetração mas me tocava e explorava meu corpo de todas as formas. Mesmo que ele namorasse ou tivesse suas ficantes, a noite eu era sempre seu brinquedo. quando estava por completar 15 anos ele se mudou e ficámos algum tempo sem contato, até que recebemos o convite de seu casamento. Fomos todos para a casa de minha avó onde ele morava...eu já uma moça feita por ele mesmo...tinha agora pelinhos na bucetinha e seios bem formados...médios mto lindos. No dia do casamento entrei sem sorte no quarto onde ele se trocava...e mais uma vez ele me pôs para mamar...isso me marcou profundamente...apesar de nunca ter me penetrado me fez conhecer o lado safado do sexo. Dois anos atrás recebi uma ligação e era ele pegara meu número com minha mãe...queria terminar o que começamos...surpreendentemente aceitei...e na minha própria casa fiz com ele tudo o que me ensinou... Ouvi daquela boca que por tantas vezes me corrompeu que eu era a mulher mais gostosa e safada que ele havia comido...que lembraria da minha bucetinha e seios de menina todas as vezes que tocasse uma mulher. E foi assim que hoje aos 24 anos me tornei uma putinha.


Fotos

Marcadores: , , , , , ,

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Vizinha Loira ninfeta gostosa exibicionista

Eu sou loira estilo gostosa, cabelos longos, lisos, boca carnuda, olhos castanhos, seios médios, bumbum durinho e xoxota sempre depilada.
E costumo usar shortinho curto largo e fico provocando meu vizinho sentada na escada, eu sempre sem calcinha fico conversando com ele e disfarçando que não sei que ele está vendo a polpa da minha bunda, nem a minha buceta gostosa.
Sou exibicionista e adoro me mostrar, tenho 24 anos e sou muito safada, tenho muito tesão e me toco siririca quase todos os dias.
Sou nova, mas meu tesão é muito, então meu vizinho ñão aguentando minhas provocações numa noite em que não fui a faculdade, e meu noivo havia ido sem minha.
Tomamos cerveja e começamos a conversar até que ele não aguentou quando me levantei para pegar mais cerveja e me agarrou na parede alisou meu seios e me tascou um beijo na boca de ligua, enlouqueci e chupei a lingua dele também abaixando a mao e apertando sua pica dura, e gostosa quase estourando a calça.
Ele começou a chupar meu pescoço.....e desceu a boca até meu decote e começou a chupar os biquinhos do meu seios rosados eu gemia como uma puta no cio.
Pareciamos dois loucos...depois el ajoelhou....e abaxaou meu shortinho....e falou putinha gostosa ta sem calcinha né com a buceta depilada como sempre do jeito que eu sempre imaginei vou fazer agora....vagabunda abre as pernas.
Obedeci e ele começou a mamar na minha buceta....e eu segurando a cabeça dele...e ele chupando meu grelinho parecia um cachorro faminto.
Depois ele lambia ela toda como se quizese  secar o molhado dela...e eu não aguentando gozei na boca dele...aiiii...vadio chupa que eu vou gozar....aaaaaaa apertando sua cabeça contra minha buceta.
E eu gozei loucamente mas ele continuou lambendo a todo meu gozo..olhando para minha cara ajoelhado no meio de minhas pernas..e no final falou hum putinha que gozo delicioso.
Ai..puchei ele pra cima...e desabotoei a calça dele e tirei seu pau duro da cueca. Pedi que ele sentasse na cadeira e ficasse a vontade tomando cerveja.
E enfiei na boca ajoelhada, tbm mamando no pau dele, minha boca fazia vai e vem no seu pau...eu babava, chupava com vontade fazia ele gemer, haaaa puta chupa isso eu sabia que vc iria um dia chupar meu pau assim de quatro como uma cadela.
Eu mamava chegava até me engasgar, lambia a base toda com a lingua para fora, e chupei também suas bolas, mamando naquela rola macia gostosa, enfiava cada uma na boca e chupava com carinho...e voltava a chupar o pau duro dele...isso chupa putinha,....vai hoje não vou te comer....quero gozar na sua boca e o resto na tua cara.
Ai ouvindo isso chupei com mais vontade e com a mão alisava minha buceta ainda molhada.
E ele não aguentando falou agora engole puta....vai....sair seu leitinho.
Sentia o jato forte invadir minha boca...senti o gosto quente do seu esperma...e depois ele arrancou com tudo...e gozou o restante na minha cara segurando meus cabelos...e passando o pau todo melado de gozo....me lambuzando a cara toda...depois falou agora chupa o resto e limpa ele putinha...
Chupei até a ultima gota deixando o pau dele limpo....e até amolecer.
Ele disse na proxima vez que tu ficar mostrando se exibindo pra mim vou comer sua buceta...eu falei.
Então até a proxima...e subi para dormir para saber da continuação dos meus relatos.



Fotos

Marcadores: , , , , ,

Gata gostosa transando com coroa que conheçeu na internet

Eu tinha 21 anos quando conheci num site de relacionamentos um homem chamado Paulo, 48 anos (poderia ser meu pai), morava em curitiba e no rio, conversavamos durante horas madrugadas inteiras e sempre ele dava um jeitinho de me ligar para gozarmos juntinho. Sempre me mandava fotos de seu membro e me chamava de sua fêmea. A cada dia sentia mais e mais tesão por aquele homem.
Certo dia abrindo minha caixa de emails havia uma mensagem dele dizendo que viria ao rio para uma entrevista de trabalho e queria me ver. Ele ia chegar as 6 da manhã na rodoviária novo rio. Eu estava lah saia jeans camiseta regata azul. Fiquei parada perto das escadas rolantes, foi então que ele se aproximou de mim. Para minha surpresa cumprimentou-me com um beijo ardente de língua. Gostei do atrevimento, enquanto buscavamos um táxi nos beijavamos o tempo todo. No banco de trás ele me acariciava, pareciamos não acreditar que fosse mesmo real.
Chegámos ao hotel galante...os quartos estavam ocupados...haviam alguns casais aguardando na recepção, lembro-me de um que pareciam bêbados e se tocavam em nossa frente. Aquele ambiente promiscuo me deixou cheia de tesão. Ficámos nos amassando naquele sofá até que a recepcionista nos deu a chave do quarto.
Fomos direto para cama...aquele homem por tantas vezes carinhoso em nossas fodas pelo tel...me jogou na cama e com força me despiu, colocando-me para mamar em seu caralho, eu colocava ele todo na boca e as vezes ele tirava o pau da minha boca e batia com ele no meu rostinho, me xingando de putinha safada...hum que tesão ele não me deixava dar as ordens tudo era feito como ele queria. Socava tão forte na minha garganta que chegava a fazer vômito, ela não estava com dó de mim. Me pegou pelos cabelos e me pôs com as mãos na parede...enquanto fodia minha xana perguntava se era isso que eu queria. Eu apenas gemia e ele dizia cala a boca safada. Enquanto eu rebolava na vara ele dava tapas na minha bunda e na minha cara. Eu estava com medo e mto tesão. Ele não gozava minha buceta estava ardendo...Qnto mais eu gemia mais ele me imprensava naquela parede...foi então que relaxei entrei no joguinho dele: - mete safado mete, arregaça minha buceta. hum que tesão. fui me baixando at ficar bem empinadinha e pedi então que ele comesse meu rabo. Tirou o pau da minha buceta e pôs logo no meu Cu...aí que dor...dei um grito e ele tapou minha boca...eu queria fugir mas ele me arrombava...aí que gostoso aquele sexo selvagem forçado...ele metia...fiquei forte no meu rabo me segurando pelos seios que balansavam mto.

Com meus dedinhos eu massageava meu grelo. eu mexia o rabo e pedia que ele me inundasse com sua porra quente... E assim o fez gozou como um cavalo...saiu por cima de mim enquanto eu ainda me tocava...ele me observou deitado na cama...eu no chão de frente me masturbando e o cu escorrendo porra...gozei... tomamos um banho demorado...ele voltou a ser carinhoso...me encheu com seus beijos. Ainda hj temos contato...e sempre comento o quanto foi incrível sua transformação.

Fotos

Marcadores: , , , , , , ,

Gata gostosa fazendo Exibicionismo na Praia

Tinha encerrado minhas histórias na Reserva com o 5 relato, mas ontem no feriado do dia 20-jan consegui ir, e para minha surpresa acabei me divertindo bastante.

Demorei muito para chegar na praia, o transito tava um inferno! Chegando na praia, que estava bastante cheia, comecei a procurar o melhor ponto para me estabelecer, e foi ai que encontrei o meu 1º problema. Tinha muitos gays, bem mais que o normal, e casais do babado muito poucos, e ainda bem distante uns dos outros. Por causa disso acabei escolhendo um ponto que tinha 2 casais próximos, sendo que um dos casais ainda estava na companhia de 2 solteiros, pensei logo putaria. Me dei mal, 1 dos casais era bem parado, e o outro tava na verdade na companhia de um casal gay e apesar dela estar com um micro biquíni e ser bem gostosa, não estavam fazendo nada demais.

Fiquei um tempo lá na esperança de ver a minha sorte mudar e que de fato acabou mudando. Um casal chegou e sentou um pouco longe, mas eu ainda tinha uma boa visão deles. Me chamaram atenção por que ela estava usando uma saída de praia totalmente transparente com um biquíni daqueles que formam apenas uma linha atrás, ou seja, ela atravessou a rua quase nua! Eles chegaram, armaram a barraca, e ai ela começou a ver um biquíni azul do nada, quando eu menos esperava, ela tirou a parte de baixo do biquíni e colocou o azul, na frente de geral, puder ver nitidamente sua bucetinha com depilação tipo "hitler". depois ela deitou para se bronzear, desamarro a parte de cima, ficou assim uns 10 minutos, depois levantou e amarrou a parte de cima com pouco habilidade revelando os peitinhos. Ela é magra, baixa e morena. Conversaram mais um pouco e depois saíram da praia, não ficaram nem meia hora.

Por conta disso, resolvi passear mais uma vez e escolher um melhor ponto, eu já devia estar na praia à uma hora e meia e só tinha visto isso. Lembrei de um casal bem jovem, que estava bem na entrada da praia, a menina tem o cabelo castanho claro e é bem novinha, muito gostosa, com os peitos grandes e naturais e um corpinho mignon, usava um biquíni branco, com a parte de baixo vermelha e toda enfiada no rabo, um autêntico fio dental. Quando passei por eles, o namorado me olhou de um jeito que me deu a sensação de que eles queriam que eu ficasse ali para se exibirem, mas como eram muito novos, e casais novos são mais "presos" eu não levei esse meu feeling a sério. Mas onde eu estava não rendia, então resolvi sentar perto deles. Chegando lá quase caí para trás, eles estavam na parte mais exposta da praia, com 2 bombados sentados bem perto deles se pagando freneticamente. Ela estava deitada em cima dele, beijando ele, enquanto ele ficava abrindo a bunda dela tentando mostrar o cuzinho, mas na verdade o que estava aparecendo eram os lábios da buceta dela.

Fiquei de pau duro imediatamente, e mesmo com vários gays perto deles me secando, sentei ali mesmo para apreciar a vista, ficaram assim por uns 15 minutos, eu tava ficando doido com a putaria. O namorado é bem branco, tem o cabelo enrolado e parecia ser meio ruivo, sei - lá, só sei que ele a exibia de uma forma muito explicita, e eu tava adorando. Quando ele parava de abrir a bunda dela, ela pegava a mão dele e continuava o movimento. Mas como alegria de pobre dura pouco, depois de uns 15 minutos, eles começaram a se arrumar para sair, mas antes ela levantou da canga de um jeito matador! 1º ficou de quatro, e nessa hora o reguinho dela se abriu todo revelando o seu cuzinho, depois se levantou lentamente, tentando manter o joelho o mais esticado possível para ficar com a bundinha aberta e fez isso tudo beeem lentamente, na cara dos bombados e bem perto de mim. Tenho quase certeza que esses bombados eram gays, mas eles estavam provocando mesmo assim.

Devo confessar que a partir daí não me orgulho do que fiz, por que me comportei como esses solteiros sem noção e segui eles até o Estacionamento do Russo. Ela só botou o chinelo e atravessou a rua de fio dental todo enfiado no reguinho, se molharam nos galões de água que tem na entrada, e eu também, fiz isso por que tinha certeza que ia rolar mais putaria, mas nem foi o caso. Foi bom por que pude conferir os pezinhos dela bem de perto, são pequenos e perfeitos, tavam feitinhos e são lindos, a menina é perfeita! Depois eles foram para o carro, demoraram mais que o normal e saíram, já fora do estacionamento ela abriu sua janela, tenho certeza que eles ainda brincaram muito de se exibir no caminho, mas infelizmente não pude acompanhar mais.

Depois disso tudo voltei para praia e ainda conferi duas mulheres, uma negra e a outra morena de topless. O peito da morena é enorme, foi muito bom também, mas além disso não vi mais nada de especial.

Espero encontrar esse casal novamente na praia, ela é linda e muita exibida, foi muito bom apenas esses 15 minutos, imagina a tarde toda
Histórias de sexo na praia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

Fotos

Marcadores: , , , , , , , ,

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

A primeira vez que perdi a virgindade com amigo do meu pai

Desde pequena sou muito assanhada , sempre gostei que os homens sentissem tesão por mim , mas tinha consciência e não me entrega para ninguém , isso até conhecer o Claudio.
Casado , com três filhos e vereador de uma cidadezinha , veio como acompanhante de meus tios para a festa de formatura de minha prima , nisso eu tinha treze anos , já tinha sido largada pelo meu primeiro namorado e já tinha pegado muitos caras , Claudio não era muito velho mais tinha idade para ser meu pai .
Ele ficaria apenas dois dias em minha casa , o que foi o suficiente para me sentir atraída por aquele homem gostoso e sedutor.
No inicio não percebi , mais ele me comia com os olhos ; ele passou a pegar em minha mão , a fazer elogios , molhava a boca quando me via ... Eu tinha certeza que ele me desejava e o que eu mais queria era uma aventura.
Fomos ao shopping , ele me chamou de canto e bem pertinho do meu pescoço disse que me desejava e que queria muito beijar a minha boca carnuda .Eu é claro que aceitei .Na noite da formatura , conseguimos dar uma escapada , fomos para o fundo do salão , eu morena , alta , com um vestido curto de festa e com o corpo já formado fiz aquele homem ficar de pau duro , ele me beijava como se fosse me engolir , passava a mão sobre meu corpo , na minha bunda , tentava erguer meu vestido mais eu mesmo achando estar preparada para me entregar preferi me conter e voltar para o salão.
Percebi que ele não estava saciado , mesmo eu não sabendo , ele queria é me devorar !
A festa acabou, ficamos mais algumas vezes naquela noite e ele foi embora , passei o meu numero de celular , mais não esperava que ele ligasse mesmo estando apaixonadissima por ele.
Foi quando na noite seguinte , o meu telefone toca , e por estranho que parece na bina constava que aquele era o numero do meu próprio celular , achei muito estranho , mais atendi .
Era o Claudio , ligando do seu próprio gabinete , dizendo que não conseguia esquecer o meu corpo , a minha boca , e suplicou que nos encontrássemos no dia seguinte .
Marcamos no shopping , era 30 de dezembro as duas da tarde ; acreditei que íamos passear pelo shopping e que tomaríamos sorvetes , pois eu ainda era inocente e acreditava em contos de fadas.
Mas não , ele me agarrou na escadaria do shopping , me encoxou e me beijou muito , fiquei até molhadinha ali mesmo , foi quando ele disse que queria ir para um lugar mais reservado , acreditando que íamos a uma praça ou coisa parecida entrei no carro , foi quando ele falou que iríamos a um Motel.
Não sabia muito bem o que era isso , nunca tinha ido , fiquei com medo mais o que eu iria fazer ?Fui , quando entramos naquele quarto barato e barrela eu parecia uma criança quando vai ao parque , estava deslumbrada , achei que era um sonho aqueles botões , aquela cama redonda ... Mal eu sabia que meu pesadelo começava ali
Ele sentou na cama , e pediu para me sentar em seu colo , me beijou toda e me deitou na cama,tirou seu sapato e foi ao banheiro , voltou nu , para meu espanto eu que nunca tinha visto um pinto , fiquei sem saber o que fazer , era agora ou nunca.
Ele se aproximou e foi tirando minha roupa , mesmo com vergonha , deixei ele me tocar , ele chupou os meus seios e brincou com o biquinho deles , beijou minha barriga , me arrepiei inteira , e colocou a linda dentro da minha xana , e a lambeu muito , lambia tudo sem piedade , e eu apenas com a perna aberta sem saber como e o que fazer , deixei ele me conduzir , ele ficou em pé e pediu que eu chegasse e lambesse com vontade o seu pau , meio inexperiente , chupei como se fosse um pirolito , ele gemia , e me chamava de ninfeta , e eu só chupando até ele me pegar pelo braço e me jogar na cama.Achei que ele iria me bater ou judiar de mim , foi quando ele deitou sobre mim , e no meu ouvido perguntou se sou virgem , eu disse que sim , e ele apenas falou que "para tudo se tem uma primeira vez."
O Claudio encaixou seu pau na minha xana apertadinha e foi empurrando , pedi que fosse devagar , mais ele meteu com tudo , e eu apenas gritei , ele socava como um cachorro , e eu só gritava e chorava como criança , nunca pensei que sentiria uma dor tão forte , suplicava pela minha mãe , mais ele só queria me fuder ate ele gozar , e a pica dele era tão dura que cutucava ate o fundo , mesmo em meio tanta dor , eu sentia um prazer gostoso ... uma vontade de dar mais ... e os meus gritos o deixava cada vez com mais tesão , ele meteu muito até gozar lah dentro sem eu perceber.
Ele me pediu para que olhasse para a cama , e vi uma mancha de sangue , ali estava a minha inocência, tão cansada e dolorida queria apenas sumir dali , mais ele me tratava com tanta doçura naquele momento , que fomos nos banhar , ele esfregava o sabonete em meu peito e na minha xana , eu via que ele sentia prazer em me lavar , me levou para cama de novo e me fez promessas de amor , e quando eu menos percebi já estava ele novamente arrombando a minha xana , me fazendo gritar , aquele pau que mexia dentro de mim me torturava, mais eu gostava , e ele gozou novamente , descansamos e ele apareceu com um remédio em mãos pedindo para que tomasse , era a pílula do dia seguinte, eu tomei e me calei , me deixou no shopping e se foi ...
A partir daquele dia passamos a nos falar diariamente , ele aparentava gostar de mim , e uma vez por mês vinha me ver , alias vinha me comer ...
Não via a gravidade do problema, ele casado me tornou sua amante...
Mais já com 14 anos eu encontrei um outro homem , e na mesma hora resolvi abandonar o Claudio , parece que eu tinha acordado daquele pesadelo , e hoje , estou casada com esse homem e para mim a minha primeira transa foi com o meu marido , pois com o Claudio foi apenas uma insignificante aventura!

Fotos

Marcadores: , , , , , , , , ,

Fodendo com minha empregada gostosa no sofá

Tudo começou quando minha mulher teve a idéia de contratar a empregada e eu já ligado pensei em contratar uma bem gostosa para quando minha mulher estivesse trabalhando eu fazer coisas, foi mais difícil do que pensei, fomos procurando em anúncios e tudo mais, no outro dia minha mulher trouxe uma empregada era meio feia, mas tinha uma bunda bem malhada e uns peitos que me davam excitação, olhei bem nos seus olhos e pensei: “essa eu vou comer” então botei o plano em ação. Depois de dois dias comecei a partir pro ataque eu ficava de pau duro usando uma bermuda bem justa que aparecia todo meu volume, ela olhava e fingia que não viu, eu andava de cueca pela casa, fingindo que não sabia que ela estava no local, e dizia agora foda-se, você já viu mesmo e comecei a usar cueca perto dela frequentemente, uma vez sentei em frente ao computador e comecei a bater uma dentro das calças e esperei ela chegar e continuei eu a abraçava passava a mão nela e dizia que havia sido sem querer, um dia resolvi ficar pelado no Box bem na hora que eu iria tomar banho, bati uma, fiquei de pau duro e ela chegou ao banheiro e viu aquela ereção tapou os olhos e pediu desculpas, eu disse: “não faz mal é só um pênis” nesta hora ela começou a se mostrar bem safadinha, no outro dia ela estava com uma roupa sensual e deixava seus seios aparecerem, eu sentei ela no sofá uma hora e começamos a conversar, sobre nossas vidas e tudo mais, botei num canal pornô e continuei falando, ela olhava para televisão e ficava toda exitadinha, eu botei meu braço por cima do seu ombro e comecei a apalpar (massagear) seus seios ela começou a abaixar a blusa e passar a mão no meu cassete, olhou pra mim e me deu aquele beijão, até subiu em cima de mim. Apressamos-nos e tiramos nossas roupas ligeiramente, a peguei no colo e levei pro meu quarto, botamos camisinha e fizemos sexo tive que trocar a camisinha de tanto que gozei, fizemos dezenas de posições que eu nunca tinha feito com minha mulher, o oral foi muito gostoso eu chegava a gozar na boca dela, arrombei o ânus dela e fiz ela gemer demais. Nos dias seguintes começamos a se tocar nas partes intimas enquanto minha mulher estava em casa quando minha mulher, saía eu metia bala e fazíamos sexo de 45 minutos umas 3x no dia, durou uns 2 meses e minha mulher demitiu ela porque ela não estava fazendo o trabalho direito ( também... eu não deixava ), mas foi uma experiência e tanto... Até mais pessoal

Fotos

Marcadores: , , , , , ,

Esposa gostosa e marido corno vendo ela ser fodida por um negão

Ola, meu nome é Maria, sou esposa do Pablo, um coroa muito legal, e compreensivo. Somos casados já há mais de vinte anos, e nossa vida tem sido tudo de bom.
Posso afirmar aqui que sou uma mulher feliz, por ter um homem como ele, que me entende e me apoia em tudo o faço.
Onde tem publicado fotos minhas, em ação, ou seja: fudendo com outros homens.
Pablo é um corno convencido, conformado e assumido.
Lá em nosso espaço, que na realidade é o espaço de todo CORNO e de toda ESPOSA PUTA, tem inumeras fotos minhas, e de outras esposas que são incentivadas por seus maridos a dar a eles o prazer que eles querem, ou seja; SER CORNO.
Tem história em quadrinho pra corno, enquete, e toda uma variedade de coisas próprias pra aqueles que escolheram essa felicidade que é SER CORNO.
Pois bem, desde cedo, desde menina, eu sempre fui louca por homens.
Me lembro que quando tinha uns doze anos, eu já chupava o pau dos meus primos quando iamos visitar a casa uns dos outros.
Eu mamama gosotoso, e o bom é que eu gostava de tomar o leite que escorria de suas mamadeiras.
Perdi o meu cabaço, para o porteiro do prédio onde moravamos, que primeiro tirou o cabaço do meu cu, e depois o cabaço da minha buceta.
Sempre fui uma mulher muito quente, e ainda sou.
Quando eu conheci o Pablo, e nos casamos, ele já sabia o tipo que eu era, eu só não sabia é que depois ele seria o meu maior apoiador, e me incentivaria a ser verdadeiramente um Esposa-Puta-Assumida.
Hoje, eu fodo (podem crer) todos os dias.
Todos os dias eu tenho pelo menos duas picas diferentes entrando em mim.
Eu gosto muito de fuder, e como boa esposa-puta, eu gosto de humilhar o meu corninho, pois a humilhação que a esposa impõe ao marido corno, ao invés de ser para ele, algo que o desaprecie, é na realidade algo que o valoriza, pois corno que é corno gosta de ser humilhado por sua mulher, principalmente na frente do seu macho.
Pois eu desenvolvi algumas formas de humilhação, para o meu corninho, que quero lhes dizer:
1) É ele, quem agenda as minhas fodas.
Ele anota o nome dos machos que querem fuder comigo, e a que horas eles vêem em nossa casa para me comer.
2) Ele é quem dá o trato na minha buceta, e no meu cu.
Esse trato, consiste em: me depilar, hidratar minha buceta e meu cu, com creme hidratante pra ficar bem lizinha, cheirosa e macia para o macho poder fuder com prazer.
3) Ele é quem recepciona os machos quando chegam.
Isso inclue, ele fazer a sala, preparar a bebida que eles gostam, e depois é claro levá-los até o nosso quarto para me fuderem.
4) Ele gosta de ficar sentado em uma cadeira olhando o macho me fuder.
Eu também gosto que ele fique, mas as vezes, só para humilha-lo eu mando que ele prepare uma boa refeição (vá comprar ou peça pelo telefone, ou dê o jeito dele, mas quando o meu macho acabar de me fuder, eu quero que tenha uma boa refeição pronta pra ele - e isso quem providencia é o meu corninho).
Outras vezes, eu mando ela lavar o carro, ou a moto do meu macho, enquanto ele me fode no nosso quarto, na nossa cama, e quando o corinho acaba de lavar o carro ou a moto do meu mahco, eu peço que ele passe cêra, usando como flanela a minha calcinha.
5) Agora, isso é o mais importante:
Todas as vezes que acabo de fuder em nossa casa, mando o meu corninho lamber toda a porra do meu macho na minha buceta, no meu cu, nos meus peitos, enfim, onde tiver porra, eu mando ele lamber. E ele lambe direitinho, eu eu percebo que isso lhe dá prazer.
As vezes, só para aumentar a humilhação, eu peço que ele traga um recipiente com água até a nossa cama, e munido com uma toalha, eu peço que ele lave o pau do macho que acabou de me fuder.
Assim tem sido a nossa vida, e somos felizes assim:
Dêem uma visita lá no nosso blog:
E você vai constatar isso.
Se alguém quiser trocar e-mail e fotos comigo, estou aberta (alias eu sempre estou, e é como eu me sinto melhor rsrsrsrs)
Um beijo no pau de todos.
Fotos

Marcadores: , , , , , , , , ,

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Casal safado mulher fazendo oral e anal na sauna

Nos conhecemos a algum tempo atras...ele casado e eu tbem, a atração foi imediata, o tesão também, dificil ate de explicar...mas enfim tentamos de todos os modos nos encontrar, mas sempre começavamos algo e não conseguiamos terminar, porque estavamos escondidos em algum canto do bairro onde moramos.
As tentativas foram inumeras, sempre com o desejo a flor da pele..cada segundo junto era intenso, sempre nos pegavamos nos esfregavamos beijos intensos e sem contar que eu sempre dava um jeito de chupá-lo (pra falar a verdade sou louca pelo pau dele) e tbem dele colocar seu pau na minha buceta (que ainda é apertadinha embora eu seja casada, mas é que o pau dele é grande e grosso).Nossos encontros sempre eram assim...rapidos e intensos até que a alguns meses atrás nos ficamos sós em nossas respectivas casas(meu marido foi viajar a trabalho e a esposa dele estava de ferias).Então combinamos de nos encontrar em um clube que fica na mesma cidade que moramos e que assim poderiamos conversar mais intimamente.
Nos encontramos na sauna do clube..e por nossa sorte estava vazia...eu estava morrendo de vontade de fazer amor com ele, ve-lo todos os dias e não poder tocá-lo é um martirio meu tesão por ele é enorme...nos beijamos rapidamente e ele ja colocou aquele pau maravilhoso pra fora pra que eu pudesse abocanha-lo.Coloquei ele imediatamente na boca, lambia da base ate a cabeça...que linda cabeça e depois engoli-o todo..adoro fazer isso.Me ajoelhei no chão da sauna para que pudesse coloca-lo melhor na boca...e depois de alguns minutos chupando-o, ele me levantou e me colocou contra a parede...abaixou meu biquini e começou a chupar meus seios...nuca tinha feito isso e a sensação foi otima...minhas mãos estavam em cima da minha cabeça e a ordem dele era para que eu não as tirasse de la, ele foi descendo aquela boca maravilhosa em meu corpo ate que chegou na minha buceta...como ele me chupa gostoso a essa hora ja estava completamente molhada...ele me virou de costas e começou a lamber meu rabinho tbem..aquilo era bom demais....depois colocou seu pau na minha buceta e meteu gostoso..muito gostoso...começou devagar...pra ela acostumar com o tamanho e depois foi mais rapido....só que não era só isso que ele queria...ele queria mais...queria o meu rabinho que ele nunca tinha conseguido comer...e então enqto metia o pau na minha buceta colocava o dedo no meu rabo pra tentar deixar ele mais larguinho e falava ao meu ouvido que ele era muito apertado e que não iria caber o seu cacete.
Eu ja com muita vontade de senti-o no meu rabo , pedi que ele colocasse, e ele foi colocando devagar...nem imagina como doeu sentir aquela cabeça entrando, mas eu não queria parar eu o queria todo e ele não se fez de rogado e foi colocando...primeiro devagar ...depois com força e rapidez o que me fez gozar em um instante...como era bom sentir aquele caralho e que gozo foi esse...depois ele me colocou de quatro e me disse que ainda tinha um bocado pra entrar...foi forçando sentia seu cassete acabando com minhas pregas.. mas era muito bom...queria gritar de tanto tesão, mas não podia estava na sauna do clube imagina a situação...ate que ele se sentou e eu me sentei sobre ele e terminei de enfiar aquele cacete lindo em mim... e com movimentos intensos gozamos os dois agora..
Mas isso não terminou ai...queriamos mais...tinhamos que aproveitar que aquela noite ninguem iria nos atrapalhar...combinamos que de madrugada eu iria ate a sua casa..que fica proxima a minha(nesse horario não teriamos a chance de ninguem me ver entrar la)qdo cheguei a porta ja estava aberta e ele me esperando...logo me levou pra cama queria me comer de quatro e de tão exibido que era queria que fosse ao lado de sua janela...imagina a cena eu nua de quatro em sua cama e ele metendo em mim com o corpo ao lado da janela aberta..ele tanto metia qto me lambia e isso era muito bom...e eu queria todo aquele caralho em mim..ele me preenche...fomos a sala de sua casa...fiquei de 4 em seu sofa pra que ele podesse ver melhor seu pau dentro de mim...cada medita dele era como se eu perdesse o ar...e logo gozei...e que gozo intenso novamente...mas queria mais...comecei rebolar em seu pau so que dessa vez ele queria gozar na minha boca...não tinha feito isso ainda(não naquele dia)...então meteu bem gostoso e depois pediu que eu abrisse a boca pra engolir todo aquele delicioso leitinho...adoro..não esperei nem ele terminar de falar..ja estava com a boca em seu pau e logo ele gozou em mim e eu muito safada, engoli tudo e deixei o pau dele bem limpinho...
Esse dia foi otimo pois matamos a vontade de fazer anal que ainda não tinhamos feito e agora que fiz com ele estou viciada e quero muito mais...
Pena que tinha que voltar e não podiamos passar mais tempo juntos, mas somos muito tarados e vamos ter muitas historias mais porque a gente junto pega fogo.

Casal transando na Sauna

Marcadores: , , , , , ,

Secretária gata gostosa transando com amigo no banheiro do escritório

Ola, me chamo Karina e faz pouco tempo que descobri a existência deste site e depois de ler alguns contos decidi relatar o que vem acontecendo comigo. Tenho 20 anos e o que vou relatar acontece desde o ano passado quando tinha de 18 para 19 anos. Sou de classe média alta, vou iniciar o terceiro ano do curso de direito matutino, sou clarinha, olhos castanhos, cabelos quase sempre loiros, 1.65 metros de altura, e sem ser modesta, me considero bonita e como os homens dizem “gostosa”.

Tudo começou quando meu pai veio falar comigo dizendo que um amigo dele estaria precisando de uma moça para trabalhar com ele, e mesmo sendo um escritório de advocacia, não como estagiária e sim mais secretária, já que ele tem uns 80 anos e mais sai do que fica no escritório, já que ele vive de aposentadoria e de aula que ele leciona, necessitando de alguém mais pra anotar os recados e outros serviços de escritório. Por eu ser de classe social estável, nunca necessitei trabalhar, porém como seria apenas por meio período e ainda teria tempo para estudar, logo aceitei sem muito pensar.

Me dirigi ao local que fica até bem próximo de onde estudo, e entrei para conversar com o senhor advogado. Logo percebi que lá também é a residência dele, uma casa de 3 andares, em baixo o escritório, em cima, uma parte escritório e outra onde ele dormia e um outro cômodo e em cima mais para dispensa, e outros tipos de objetos que não vem ao caso.

Então conversamos pouco e logo já estava contratada, iniciando no dia seguinte. Nesse tempo de conversa passou por ali um homem, aparentando uns 35 anos, moreno jambo, mais do resto nem reparei. Foi então que o doutor chamou ele e me apresentou como nova contratada e então melhor pude vê lo, não era bonito, mas era alto, uns 1.78 a 1.80 metros, forte, musculoso, corpo “sarado”, que ele trabalhava como espécie de caseiro e ajudante geral, desde faxina, abrir o portão, consertos e que ele residia de favor num sobradinho no fundo do quintal... Então fui embora para casa.

No dia seguinte, sai da faculdade, almocei no mc donald’s próximo do trabalho e me dirigi para meu primeiro dia. Entrei no escritório e logo dei de cara com o empregado Paulo, que me deu boa tarde, veio em minha direção me dando um abraço apertado e um beijo no rosto me cumprimentando. Foi dizendo que o doutor não estava e que talvez só voltasse a noite. Então entrei no escritório com ele me acompanhando, sentei em minha mesa na recepção e ele sentou se no sofá e começou a puxar papo comigo. Ficamos conversando mais de uma hora diversos assuntos, riamos da conversa, brincávamos e então ele começou a me elogiar, e em algumas vezes me deixando sem graça e vermelha. Dizia que eu era muito linda, que tinha cara mesmo de paty, que deveria ter a pele bem cuidada, macia, que era a primeira que trabalhava ali e que vinha de carro apesar do salário não ser suficiente para tanto. Então no que eu podia eu respondia, dizendo que ganhei o carro do meu pai, recebo mesada o suficiente para bancar meus poucos luxos e que o que eu ganharia seria para meu gasto pessoal apenas pois graças a Deus sempre tive tudo que precisei.

Ele então começou a me elogiar ainda mais, meus olhos, rosto, seios, pernas e até a bunda. Pedi para ele parar pois já estava passando do limite e ele me respondeu que sabia que paty como eu amava homens assim mais safados, atrevidos, selvagens. Falei que eu não era desse tipo, que namorava um do mesmo nível social que o meu e estava muito feliz e fiz questão de mostrar a aliança de compromisso em mina mão. Então ele começou a falar só desses assuntos e não saiu mais disso, perguntando se eu amava ele, se ele me agradava em todos os sentidos, como era na cama, se eu já havia traído alguma vez meu namorado... olhava pra ele e respondia que nunca trai e que não queria falar desses assuntos. Então ele me perguntou o que eu achei dele fisicamente. Respondi que não achei ele bonito mas que tinha um belo corpo. Então ele se assanhou mais ainda e me perguntou se eu preferia um namorado que nem o meu mais certinho ou um mais safado, atrevido, que não me respeitasse. Me espantei e disse que não tinha como ele saber como meu namorado era e ele sorrindo disse que não precisava pois sabia que ele era certinho. Então eu sorri dizendo que as vezes eu desejava que meu namorado fosse do tipo safado pois ele era certinho demais em todos os momentos, mas do resto era uma ótima pessoa.

Ele então sorrindo disse que uma mulher linda como eu, precisava ter um homem de verdade, daqueles bem safados mesmo. Sorri e disse que estava muito feliz com meu namorado. Então ele respondeu que as pessoas não sabem o que querem enquanto não provam as opções e disse que se eu realmente estivesse feliz com meu namorado, já teria cortado ele por tantas safadezas que estava falando pra mim. Só disse que estava sendo educada com ele. Ele então sorriu, levantou se do sofá e disse que ele não seria nada educado comigo e foi trabalhar. Eu estava em pé mexendo no arquivo e do nada ele passou por trás de mim se esfregando e continuo como se nada tivesse feito, enquanto virei pra trás e disse “oooooo” e ele olhou, sorriu e continuou a andar. Na volta, ele novamente passa por mim e dessa vez passa a mão em minha bunda, de forma rápida sem parar de andar. Chamei ele de louco e que estava faltando com o respeito e ele respondeu que louco ele seria se me respeitasse. Então no período de final da tarde perto de eu ir embora ele veio em mim e perguntou se eu gostaria de conhecer a parte de trás da casa, ou seja, o quintalzinho e o sobradinho onde ele morava. Respondi que não havia necessidade e ele respondeu que havia sim já que eu iria trabalhar lá teria de conhecer o local. Então acabei indo.

Chegando lá vi o quintalzinho e então ele entrou no sobradinho e me chamou pra conhecer como era por lá e eu recusei. Ele insistiu tanto e veio na minha direção, pegou em minha mão e me levou pra dentro da casa. Mostrou a cozinha, sala e o banheirinho em baixo. Tudo muito bonito e mobiliado, pois foi o doutor quem comprou quase tudo. Então ele quis que eu subisse a escada para conhecer a parte de cima e depois de alguma insistência ele me levou. Mostrou um outro banheirinho e depois me levou pra mostrar o quarto dele. Muito bonito e bem decorado, nem parecia quarto de homem rs. Ele disse que era o mínimo que podia fazer pelo enorme favor do doutor em deixar ele ficar por lá. Ele então sentou se na cama e me chamou pra sentar com ele e conversarmos um pouco. Disfarcei e disse que já estava na hora de eu ir e ele respondeu que ainda tinha tempo e que eu de carro chegaria rápida em casa. Sentei e na cama e ele aos poucos veio chegando bem perto de mim e sempre conversando assuntos safados, sempre me elogiando. Então ele quase colado em mim disse que tinha lido num site erótico que a mulher que masturba o homem com a mão e ao mesmo tempo faz oral nele e deixa ele gozar em sua boca quer dizer que ela está toda entregue ao homem. Eu ri e disse que nunca tinha ouvido ninguém falar disso. Ele perguntou se já tinha acontecido isso ou parecido comigo e respondi que não.

Então ele sorrindo disse que iríamos descobrir se isso era verdade ou não. Ele pegou minha mão e botou por dentro do shorts dele e fez eu ficar acariciando ele. Eu sem saber explicar não consegui impedir e mesmo ele soltando a minha mão eu continuei a caricia e aos poucos ele tirou o shorts e cueca e me fez eu ficar acariciando e depois conduziu minha cabeça até o pênis dele, o qual por pura maluquice acabei abocanhando. Então fiquei mamando ele por um bom tempo, hora lambendo, deslizando os lábios e língua, ora ele bombando em minha boca, até que ele pediu pra eu punheta lo com uma mão e o resto do espaço deixar minha boca pois ele iria gozar em minha boca e eu sem raciocinar acabei obedecendo e assim foi indo até ele começar a gritar que ia gozar e para eu tirar a boca de lá, mas não o fiz, fazendo ele gozar em minha boca tirando a mão e introduzindo ele dentro da minha boca. Ele ainda fez eu mamar mais um pouco para limpar. Depois disso ele sorriu dizendo que eu mesma quis essa situação e nada mais fiz do que sorrir, então ele me pegou e disse que agora ele quem iria sentir meu gosto. Ele me sentou na cama, tirou minha calcinha, levantou meu vestido e começou a me beijar em baixo, fazendo me contorcer toda. Não demorou muito e eu estava tendo um orgasmo na boca dele. Então mesmo assim as vezes ele introduzia o dedo nela só pra me provocar mais. Acabada a brincadeira ficamos os dois deitados descansando e ele me chamando de safada, de gostosa. Então ele jogou o corpo dele por cima do meu e ficou acariciando minha vagina com o pênis dele brincando na entrada. Isso já me fazia ficar toda acessa, até que ele começou a falar que eu era a vaquinha e cadelinha dele, que ele era meu dono e que era pra eu pedir pra ele enfiar em mim. Então sem muito relutar já estava pedindo pra ele me penetrar. Então ele perguntou se ele era o meu macho e eu louca de prazer disse que sim. Então ele pegou e aos poucos foi introduzindo dentro de mim e não demorou muito pra ele ficar bombando rapidamente e com uma certa força, fazendo eu sentir mais prazer ainda. No final depois de um bom tempo quando ele conseguiu ter um orgasmo eu já havia tido dois orgasmos. Depois ficamos um pouco mais deitado descansando, ele tocando e brincando com meus seios. Quando foi a hora de ir embora ele ainda fez eu fazer mais um oral nele que mesmo estando mole no inicio, não demorou muito e novamente estava como uma pedra fazendo ele ter um outro orgasmo e eu também tendo um mesmo sem ele me tocar.

Depois de tão rapidamente ficarmos juntos logo no primeiro dia de trabalho, não houve um único dia que não ficávamos juntos, seja só um oral, uma rapidinha ou uma bem demorada. Depois de 3 meses terminei com meu namorado, ficando só com ele. Nesse tempo de mais de 2 anos, fiquei também com o primo dele, com o consentimento do meu ficante, pois sem entrar em detalhes, aconteceu algo entre os dois e Paulo ficou devendo um favor e sobrou pra mim. Porém o primo dele apesar de não ter o mesmo corpão de Paulo, ele sim era bonito e safado o suficiente para saber como dar prazer a uma mulher. E até hoje continuo na mesma rotina, faculdade, trabalho no mesmo local, no mesmo dia a dia.

Secretária gostosa

Marcadores: , , , , , , , , , , , ,

Minha Esposa e Cunhada gostosa fazendo sexo grupal

Tinha 16 anos quando conheci renata, que também tinha 16 anos. estudavámos no mesmo colégio, e na mesma sala. comecei a paquerá-la, ela ía entrando na minha, depois de seis meses, a convenci de falar com seus pais. no dia marcado cheguei em sua casa por volta de oito horas da noite. fui recebido por ela, que bela me apresentou seus pais. sentei-me no sofá e eles em outro, começaram a me interrogar, eu respondia com naturalidade e honestidade. depois de uma hora de conversa, eles permitiram nosso namoro.
renata tinha uma irma de 8 anos que era muito bonitinha e bem sapeca. eu ía namorar duas veses por semana, geralmente quinta e sábado. nos dias de sábado eu e renata ficavámos mais a vontade, mesmo por que seus pais já confiam em mim. passou uns oito meses de namoro, renata já ficava mais liberal comigo nos nossos amassos, já levava suas mãos em minha pica e permitia a minha alisar sua bucetinha. eu já estava fisurado na sua xotinha, que era virgem, mas não queria correr nenhum risco. uma bela noite estavámos na varanda, seus pais assitiam tv na sala. eu e renata estavámos sentados num sofá que tinha lá. renata alisava meu pau que estava durasso, de repente ela começa abrir o zipper da minha calça, eu dizia que seu pai poderia nos pegar, mas ela não se importava com esse risco. com meu pau para fora, renata apertava com sua delicada mão. eu me deitava no sofá, ela passou a tocar uma punheta para mim. eu
adorava, mas ela quis mais, me pediu para ficar de pé. levantei-me e renata levou sua boca no meu pau engolindo-o todo. eu prestava aténção na sala e como seus pais estavam intretido com a tv, eu relaxava e ía movimentando meu pau na boca dela. renata chupava minha pica e alisava minhas bolas. eu sabia que iria gozar logo, até por medo de ser pego, segurei a cabeça de renata e passei a meter em sua boca, até que gozei. renata, não sabia o que fazer tentava cuspir a porra, mas com medo de deixar pistas acabou engolindo todo meu leite. guardei minha pica e sentei novamente. ela limpava sua boca com uma toalha de papel que estava ali. ela me abraçou e disse no meu ouvido que achou o gosto estranho, mas adorou beber minha porra. respondi que a gente teria que tomar cuidado para seus pais não pegar a gente. mas todo sábado no nosso namoro renata acabava tomando meu leite, isso passou a ser hábito. namoramos mais um ano e ficamos noivos. eu estava sofrendo com o alistamento no exército, renata ficava torcendo para eu pegar. se foi azar ou sorte, acabei servindo o exército. seus pais ficaram orgulhosos de mim e da filha e agora passava a deixar nos saírmos mais veses. pena que renata ainda tinha 17 anos e não podíamos ir ao motel. ela não ia demorar a fazer 18, so faltavam 4 meses. um dia conversando com um colega de farda, ele diz que seu cunhado trabalhava na recepção de um motel, era um motel dos baratos, mas já era alguma coisa. meu colega me apresentou seu cunhado que disse que liberava a entrada de meninas menores com a gente. falei para renata que se alegrou com a notícia.
no sábado que eu ía folgar, combinei com ela e ela disse para seus pais que íria sair com umas amigas e que eu estava de plantão no quartel. seus pais acreditaram, por que me ligaram e eu confirmei. eles a deixaram sair. nos encontramos no centro da cidade. tomamos um refri, pois, ela não bebia, fomos para o motel do meu colega. chegando lá o cunhado de meu amigo me deu a chave de um quarto meio escondido. fomos para lá. dentro do quarto abracei renata que estava com o coração disparado. fui tirando sua blusa deixando seus peitinhos de fora, comecei a mamá-los. renata se excitava e abria o zipper de sua calça tirando-a ficando so de calcinha. eu também tirei as calças e fiquei peladão. não forcei renata a fazer nada além do que ela queria. deixei-a tomar as decisões. ela me fez deitar e foi chupar meu pau. eu disse que queria chupar sua bucetinha, ela se livrou de sua calcinha colocou-se por cima de mim e fizemos um maravilhoso 69. renata se contorcia com minha língua invadindo sua bucetinha. eu chupava toda buceta dela, sugava seu grelinho. ela se melava toda. passado um tempo, eu a coloquei de frente para mim com sua buceta na minha boca, chupei até que renata não se segurava mais e tomada por um tesão descontrolado gozou em minha boca. ela saiu de cima de mim e me beijou com vontade dizendo que me amava muito. eu ainda continuava na seca, renata passou a chupar meu pau e masturba-lo. eu nesse dia estava demorando a gozar, pedi que renata deitasse de bruço na cama. ela deitou, eu coloquei um travesseiro por baixo de sua cintura fazendo sua bunda ficar empinada. passei um creme na minha pica e entre as pernas dela. renata me olhou e disse que gostaria muito de dar para mim, mas não naquele dia. eu a tranquilizei, dizendo que não iria comer sua bucetinha e nem seu rabinho. fechei as pernas dela e deitei em cima colocando meu pau entre suas coxas. comecei então um vai-vem frenético, renata sentindo meu pau deslizar por entre as pernas levantou seu corpo fazendo meu pau deslizar com mais vontade. eu fazia meus movimentos num ritmo alucinado e não demorei muito gozei com vontade entre suas coxas. renata sentindo minha porra escorrer por suas pernas abriu um pouco fazendo a porra escorrer mais rápido. saí de cima dela, ela deitando do meu lado disse que adorou a noite que teve e que em breve se entregaria totalmente a mim. eu a amava muito e me contentava com aqueles sarros. tomamos um banho e fomos embora.
o ano passou, saí do exército e pelo meu ótimo comportamento recebi uma proposta de um comandante para trabalhar como motorista em sua firma. claro que aceitei, apesar do salário não ser grande coisa. comecei a montar um barraco e pedi renata em casamento. depois de seis meses casamos.
no dia do casamento, renata disse que seria completamente minha. na nossa primeira noite na cama, renata se despiu e foi logo me chupando deixando meu pau duro. renata se deitou e como uma menina inocente abriu suas pernas me chamando para possuí-la. eu dei uma bela chupada em sua buceta fazendo ela se melar. coloquei meu pau na sua bucetinha e comecei a forçar aquele cabaço. renata pedia para ir devagar, pois, doía muito. eu forçava seu selinho, mas com cuidado, pois, não tinha pressa. depois de um tempo forçando aquele cabacinho, renata na ánsia de ser tornar mulher, abraçou-me com suas pernas e foi levantando seu corpo fazendo meu pau forçar mais sua buceta, eu seguia forçando com cuidado até que senti a cabeça começar a vencer seu cabaço. renata também sentindo me apertou com as pernas empurrando meu corpo contra o seu, meu pau entrou com tudo fazendo seu cabaço romper. renata deu um grito de dor e sorrindo me beijou. eu parei para ela relaxar e esquecer da dor. sem tirar meu pau, nos beijamos. quando renata relaxou, soltou suas pernas e começou a rebolar debaixo de mim. comecei a socar sua buceta, agora toda escancarada para mim. metia cada vez mais forte, renata gemia e rebolava pedindo para fuder sua buceta. eu metia com vontade, fudia sua buceta com força, renata gozava sem parar, eu metia sem dó. até que finalmente gozei imundando sua bucetinha. depois de gozarmos, renata dando um belo sorriso disse que estava realizada parcialmente, que iria me fazer o homem mais feliz do mundo. vencida pelo cansaço e pela dor da 1ª relação, renata adormeceu, fiquei admirando seu belo corpo até dormir também. quando acordamos pela manha, renata ainda zonza com os acontecimentos e com seu jeito meigo, alisa meu pau que rápidamente cresce em sua mão. ela da uma chupada, eu tarado de vontade ponho renata de 4 e meto o pau em sua buceta. de repente renata diz que deseja ser uma mulher completa e delicadamente diz: “amor come meu cuzinho, quero ser sua mulher e sua putinha”. aquilo me deu um novo ánimo e tirando meu pau de sua buceta encaminhei para seu rosadinho. coloquei o bruto no seu cuzinho, fui empurrando. renata com a cabeça deitada na cama abria a bunda com as mãos, facilitando a entrada do meu pau. eu empurrava e meu pau ia entrando devagar. renata fazia de tudo para suportar a dor. meu pau entrava com dificuldade, renata suava sem parar. meu pau já havia entrado um pouco e renata escancarava cada ves mais sua bunda. meu pau entrou por completo naquele cuzinho. com a pica toda em seu rabo meti sem parar, sem ao menos deixar renata tomar folêgo. meu pau entrava e saia com vontade esfolando e alargando aquele delicado cuzinho que deixava de ser delicado para ficar arrombado. renata gemia e continuava suando. depois de meter por uns 15 minutos enchi seu rabo de porra. eu gozava e renata sorria de felicidade. quando tirei o pau de seu cu ela deitou dizendo que adorou dar o cuzinho. assim passamos nossa lua de mel metendo muito.
de volta a vida normal fomos para nossa casa, voltei ao trabalho e renata aos estudos. depois de dois meses como renata era muito apegada a sua irmã, bruna veio passar as férias em nossa casa. ela agora estava com 12 anos. uma noite chovia muito e fomos dormir, por causa da chuva deixamos de sair. mas, devido ao grande número de relâmpagos e trovões, bruna pediu renata para dormir conosco. renata permitiu e bruna deitou entre eu e renata. bruna e renata eram muitas amigas e sempre bruna dizia a renata que iria casar comigo também, mas renata não ligava, achava que era so brincadeira, eu também. nessa noite bruna no meio de nos fez as coisas mudarem o jeito de pensar. renata adormecia rápido e tinha um sono pesadissimo, daqueles em que podia tirá-la da cama e ela não acordar. bruna estava de camisolinha e deitou virada com a bunda para meu lado. até ai tudo bem, mas de repente bruna empina sua bunda até encostar-se ao meu pau. eu ainda dei uma empurrada nela para ela se afastar, foi pior, ela se afastou sim, mas levou sua mão e passou a alisar meu cacete. peguei sua mão e disse para ela parar antes que renata acordasse, mas ela insistia, então sem pensar direito tirei meu pau para fora e fiz bruna encher sua mão. foi a mesma coisa que dar bala para ela. ela alisava meu pau com delicadeza e ele crescia em sua mão. já tinha começado mesmo, deixei bruna brincar o tempo que quissesse. bruna brincava com meu pau e continuava de costas para mim. meu pau estava como ferro de tao duro, não exitei e com minha mão fui levantando a camisola dela, ela soltou meu pau e facilitou para sua camisola subir toda. então pus a mão em seus peguenos peitos, bruna se encostou com sua bundinha em meu corpo. abracei bruna e minha mão desceu até sua calcinha e sem pedir licença enfiei a mão e toquei sua bucetinha. bruna ensaiava uma reboladinha, mas sem jeito. fui abaixando sua calcinha, ela ia deixando, quando assustei sua calcinha já estava nos pés. coloquei minha pica no meio de suas coxas e fiquei movimentando meu pau. bruna gemia baixinho, eu continuava a meter em suas coxas ao mesmo tempo em que passava minha língua pelo seu pescoço e ouvido. bruna dizia que queria ter minha pica na sua buceta, mas ali seria impossível, com renata do lado. fiquei so nas coxas e logo gozei deixando toda minha porra ali nas suas coxinhas. no dia seguinte quando levantei, as duas já estavam de pé, não tive coragem de olhar para bruna que estava contente. tomei o café e como era sábado não iria trabalhar. sentei no sofa e fui ver um filme. logo bruna passa na sala e vendo que renata estava lá fora, chega até mim, lasca um beijo na minha boca e da uma alisada no meu pau.
bruna ía ficar mais duas semanas conosco. eu pensava como sair daquela enrascada. depois do almoço, renata foi ao salão e bruna preferiu ficar em casa comigo. sabia que bruna ía se engraçar comigo. renata saiu e bruna foi para o quarto e sem demorar muito, voltou vestindo um camisetão e por baixo uma minúscula calcinha. disse a bruna que não podiamos continuar com aquilo, pois, ela era muito nova e eu era marido de sua irmã. bruna respondeu que azar o meu, que ela iria continuar a me desejar sim. disse isso e tirou a camiseta ficando de calcinha e com os peitinhos de fora. sentou perto de mim e disse, que na noite anterior eu so alisei os peitinhos e que hoje eu poderia chupá-los. como eu não sou de ferro, puxei bruna para meu colo e chupei seus peitinhos. bruna suspirava de tesão. enlouqueci, pus bruna deitada no sofa, tirei sua calcinha e chupei sua bucetinha. bruna gemia e pedia para comê-la. eu tirei o pau para fora e levei até a boca de bruna, fazendo-a mamar. bruna chupava meu pau, engolia cada pedaço com um sorriso no rosto. ela com meu pau todo na boca fazia sua língua passar por toda extensão. era impressionante como bruna sabia chupar tao bem. tirei o pau de sua boca e sentei no sofa, mandei bruna sentar com as pernas fechadas e colocando meu pau entre suas pernas, meti e gozei logo. bruna se levantou e foi se limpar. ela estava a fim de trepar comigo, mas eu não podia, não naquele momento. estava na minha casa e não tinha uma camisinha. deixei rolar e até ela ir embora fiquei so no sarro.


Cunhada gostosa

Marcadores: , , , , , , , ,